Assistência 24h: 0800-073-5939
73 98833-3831
73 3525-3239

Hepatite medicamentosa: causas e sintomas

Hepatite medicamentosa: causas e sintomas

Você já ouviu falar sobre a hepatite medicamentosa? Durante a pandemia do novo coronavírus este assunto ganhou a grande mídia. Isso porque o uso indiscriminado de medicamentos, sem qualquer comprovação de eficiência contra a Covid-19, se tornou motivo de alerta para os especialistas.

Mas você sabe o que é a hepatite medicamentosa? Essa inflamação do fígado pode aparecer de maneira repentina, não é contagiosa, é considerada pouco comum e de fácil tratamento.

Quando o tratamento é feito em sua fase inicial, a doença não deixa nenhuma consequência. Para tanto, é preciso entender o que é, quais são os sintomas e como é feito o tratamento deste tipo de hepatite.

Todas essas informações você encontra neste artigo. Vamos lá?

Boa leitura!

O que é hepatite medicamentosa

A hepatite por medicamento é um tipo de hepatite que, ao contrário daqueles causados por vírus e consumo excessivo de bebidas alcoólicas, é causado pelo uso excessivo de substâncias naturais, vitamínicas e medicamentosas.

Essa inflamação do fígado é perigosa e pode ocorrer pouco tempo após a primeira exposição do organismo à substância, ou em até meses de uso regular da substância.

É uma doença grave que pode gerar insuficiência do fígado causando danos crônicos. Nos primeiros sintomas da hepatite medicamentosa, é fundamental buscar um médico e iniciar, de forma responsável, o tratamento.

Causas da hepatite por medicamento

Apesar de haver diversas substâncias que podem causar a hepatite medicamentosa, são os medicamentos considerados de baixo risco, e que não necessitam de receita médica, os mais perigosos neste caso.

Isso porque são medicamentos que as pessoas costumam fazer uso excessivo e quase rotineiro, como os analgésicos de venda livre. Por isso, é importante sempre consultar um especialista antes de iniciar qualquer tratamento e tomar cuidado para não se automedicar e abusar das substâncias.

Além desses medicamentos comuns, podemos citar os fitoterápicos, os suplementos vitamínicos e os anabolizantes, pelos mesmos motivos.

Um medicamento que tem sido motivo de alerta para muitos especialistas é o Roacutan, medicamento para tratamento da acne severa. Este é um remédio que deveria ser receitado em casos especiais, mas infelizmente muitos fazem uso sem acompanhamento médico.

Dito isso, é sempre importante lembrar que tudo depende da dosagem e da quantidade de vezes que se faz uso de qualquer um dos remédios citados acima. Não são todos os pacientes que irão desenvolver a hepatite medicamentosa.

Sintomas da hepatite medicamentosa

Como citado anteriormente, os sintomas da hepatite medicamentosa podem aparecer horas após o uso da substância ou meses após uso contínuo da mesma.

Esses sintomas são muito semelhantes a qualquer outro tipo de hepatite, sendo eles consequências da limitação do funcionamento do fígado.

Os sintomas mais comuns são: febre baixa; cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos; coceira pelo corpo; dor no lado direito da barriga; náuseas; vômitos; urina escura; fezes claras (como argila); e mal-estar geral.

Em geral, é possível controlar a doença rapidamente. Na maior parte dos casos, basta interromper o uso da substância que está causando a hepatite por medicamento. Ainda assim, é importante buscar um especialista, visto que, quando não tratada, a hepatite medicamentosa pode causar danos permanentes.

Tratamento da hepatite medicamentosa

O tratamento da hepatite medicamentosa começa com a suspensão da substância causadora da inflamação. Ainda assim, o caso será avaliado por um médico especialista, que pode ou não, dependendo do diagnóstico, prescrever corticoides por um período de cerca de 2 meses.

Após o tratamento, é fundamental que o paciente volte a ser examinado para avaliar o estado do fígado.

Em casos raros, dependendo do nível de insuficiência do fígado, talvez seja necessário um transplante.

A Ivermectina causa hepatite medicamentosa?

A hepatite por medicamentos se tornou um dos assuntos mais comentados nos últimos meses, graças ao alerta sobre o perigo do consumo indiscriminado de medicamentos anunciados como “tratamento precoce” da Covid-19, mas que não possuem nenhuma comprovação.

O principal medicamento é a Ivermectina, um remédio utilizado contra parasitas. O medicamento, que não tem a eficiência comprovada, tem sido consumido rotineiramente por um número chocante de brasileiros, a ponto de já terem sido registrados casos graves de hepatite medicamentosa.

A Ivermectina é um medicamento que deve ser usado pontualmente, com indicação médica, contra parasitas. Ainda se conhece pouco as consequências do uso indiscriminado, por um longo período, dessa substância.

Por enquanto, precisamos lembrar que não existe um tratamento precoce contra o coronavírus; a melhor maneira de se proteger é respeitando o distanciamento social, usando máscara, se vacinando quando possível e higienizando constantemente as mãos e os objetos diários.

Lembramos ainda que a hepatite medicamentosa é uma complicação pouco comum e facilmente tratável quando diagnosticada em fase inicial. Ela pode ser facilmente evitada ao fazer o uso responsável e consciente de medicamentos.

Esse conteúdo foi interessante para você? Escreva nos comentários o que achou do nosso conteúdo. Assine nossa newsletter e fique por dentro de todos os conteúdos que publicamos!

Cadastre-se para receber novidades

Pax Nacional

Atendimento

Assistência 24h: 0800-073-5939

73 98833-3831

73 3525-3239

falecom@grupopaxnacional.com.br